(12) 3904-3999(12) 98261-0030
Antecipação de receita com a... ...significa:
tranquilidade para o seu condomínio!
Deixar a cobrança com a... ...é:
cuidar melhor do lugar onde se vive!
A equipe especializada em cobrança da... reduz
a indadimplência para todos viverem melhor!
Contar com os serviços da... ...é:
contar com experiência, parceria e transparência
o tempo todo!

Câmeras de segurança: tipos e onde instalar no condomínio

Cada vez mais pessoas estão procurando a comodidade e segurança de morar em um condomínio fechado. Ter uma portaria vigiada 24 horas, guarita blindada, além de seguranças por toda a parte são fatores que aumentam essa sensação de proteção.

Nesse sentido, as câmeras de segurança são itens fundamentais. Existem vários modelos disponíveis no mercado, que se diferem em tamanho, alimentação, alcance, etc. A seguir apresentaremos alguns tipos e daremos dicas de onde instalar as câmeras em seu condomínio.

Quais os tipos de câmeras de segurança?

São muitos. Para facilitar, vamos separá-los por categorias: conforme o tipo de alimentação, transmissão, recepção e resolução da câmera.

Alimentação

Hoje o mercado é dominado por câmeras digitais, sendo que as analógicas somente complementam sistemas já existentes. Muitas são alimentadas por baterias, o que é favorável pois dessa forma elas não dependem de cabos de energia. Existem, também, modelos alimentados pelos cabos de rede, dispensado a instalação de mais cabos elétricos.

Transmissão

Cabo de rede e wireless (sem fio) são os tipos mais comuns de transmissão. O primeiro é mais indicado para lugares com menor extensão, pois não exige um cabeamento muito longo. Já o segundo é muito mais prático e mais usado hoje em dia, pois não exige cabos e pode ser utilizado em áreas bem maiores.

Recepção

A maioria das câmeras de segurança, hoje, é IP, ou seja, pode ser acessada de qualquer celular ou computador. Isso gera uma grande praticidade, pois qualquer ponto do condomínio pode ser monitorado de qualquer lugar.

Iluminação, resolução e outros detalhes

Quanto à iluminação, as câmeras com sensor CCD são as mais procuradas, uma vez que se adaptam facilmente em locais pouco iluminados.

A resolução é medida pelo número de linhas horizontais. Sendo assim, é recomendado comprar modelos a partir de 480 linhas. Lembre-se que câmeras também têm a função de identificar um possível criminoso. Existem, ainda, as que se movimentam horizontal e verticalmente, sendo possível acompanhar detalhadamente qualquer ação.

Onde instalar as câmeras no condomínio?

A quantidade de câmeras de segurança que devem ser instaladas no condomínio varia de acordo com a área total.

É recomendado o uso de, pelo menos, uma câmera a cada cinquenta metros na área externa do condomínio. Além disso, áreas como playground, piscina, estacionamento e áreas de fundo ― geralmente mal iluminadas ― merecem atenção especial.

O que vai sempre determinar a área de cobertura e capacidade de aproximação de uma câmera é a lente, que pode variar de 04 a 18 mm, além da presença de infravermelho e microfone para captação de áudio.

É importante que haja um bom planejamento das áreas a serem cobertas antes de adquirir um sistema de câmeras, levando em conta a iluminação e o tamanho de cada local.

Quem terá acesso às imagens?

Uma vez instalado o sistema de câmeras de segurança do condomínio, é preciso ficar atento à questão do acesso às imagens captadas.

Lembre-se de que os condomínios têm áreas comuns como hall de entrada, garagem e corredores. Nesses locais, o acesso às imagens gravadas é permitido a qualquer morador, para que este saiba quem anda circulando pelo condomínio, gerando uma relação sadia entre os moradores.

Já em locais mais fechados, como elevadores e salão de festas, é mais prudente (mas não obrigatório) que somente zeladores e seguranças observem as câmeras.

Hoje você viu como planejar a instalação de câmeras de segurança em seu condomínio, analisando os diferentes tipos para cada área e propósito. Se gostou de nossas dicas ou ficou com alguma dúvida, não deixe de comentar no post.

Fonte: Blog Condlink